terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Estudo de Discipulado.

JESUS, A MULTIDÃO, OS SEGUIDORES E OS DISCÍPULOS

O centro do discipulado não é uma programação humana. São vínculos, ligaduras no espírito, alianças entranháveis, compromisso de submissão, de andar na Luz, de se deixar tratar.

O Discípulo deve ser aberto, maleável, tratável e desejar ser formado em Deus.
Entrar no padrão do discipulado é entrar no estilo de vida de Jesus. O convite é para servirmos, honrarmos e submetermos ao outro.
O ALVO DO DISCIPULADO É CRESCIMENTO.

Jesus desenvolveu pelo menos 3 tipos de ralacionamentos. Esses relacionamentos não distantes de nós, estão estampados em pessoas que frequentam a nossa Igreja hoje. Podemos dizer que em toda igreja existe o visitante, o participante e o discípulo.

1. Jesus e a multidão

A multidão seguia Jesus por causa dos milagres, sinais e maravilhas que Ele fazia.
Alguns tópicos vemos como característica na multidão:
- Não temos segurançado compromisso da multidão.
- Qdo exigimos da multidão algo que só poderíamos cobrar dos discípulos, ela nos deixa.
- A multidão busca satisfação das suas próprias necessidades. Ela só busca o profeta em alguma necessidade.
- O que conduz a multidão é a independência.
- A multidão tem um relacionamento distante e impessoal.
- Os diálogos são sempre superficiais, com conversas frívolas e fúteis.
- É muito fraca a resposta do desafio da Palavra de Deus.
- Eles não aceitam ser cobrados ou confrontados em sua má conduta.
- Não se deixam tratar por ninguém.
- Possuem motivação desconhecida, portanto não são confiáviespara quelquer obra ou posição de responsabilidade e liderança.
- O nível de crescimento é baixo.
- São totalmente independentes.
- São infantis, confusos, religiosos e materialistas.
- Nada herdam espiritualmente dos seus líderes.
- Fogem de tomar a cruz, pois não toleram o desprazer.
- Possui uma vida egocêntrica.
- Vivem de aparência.

Por causa dessas caracteríticas, Jesus não se prendia a multidão descompromissada, e que só desejavam o que Ele tinha pra oferecer.
Mas quero deixar bem claro que Jesus amava as pessoas. Ele tinha compaixão delas e não as excluía do Seu plano de salvação. Mas, Ele andava com os 12, ensinava-os, tratava o caráter deles. Diante da multidão, Jesus pregava as verdades do Reino, mas os mistérios do Reino era somente dado aos discípulos. Mt 13,11

2. Jesus e os seguidores

O Segundo nível de ralacionamento de Jesus foi com aquelas pessoas eue O procuravam pra serem aconselhadas. Ex: Nicodemos e o Jovem rico.

Há pessoas na Igreja que procuram os pastores e líderes para aconselhamento, é assídua na igreja, participa das programações regularmente. São ativistas, mas não possuem o compromisso de se desgastarem e tomarem a cruz como discípulos, para a expansão do Reino de Deus. Não aceitam se submeter ao discipulado.

Os seguidores ocasionais sempre tem algumas ou todas estas caracteríticas:

- São religiosos e lagalistas, alimentam-se da palavra mas com uma ótica religiosa e mística. Assim, são anêmicos na fé, incrédulos, apáticos e mornos, são crianças quando já deveriam ser maduros.

- São festivos, chegam, marcam presença, dão boas sugestões, estão nos jejuns, mostram-se intensos e desaparecem até a próxima temporada de fogo.

- São místicos, superficiais e se deixam tratar quando há alguma dificuldade. Podem até estar convencidos de que são muito espirituais, mas tem relacionamento distante, tanto com Deus como com a liderança e os outros irmãos.

- Andam por conta própria.

- São inconstantes,derrotados, sem direção.

Esses são aqueles que aparentemente são ótimos, mas são superficiais e se vc pegar pesado com eles, não resistem e vão embora. Procuram outros líderes, ficam sempre com um pé atráz, na verdade,esses não se envolvem de verdade.


3. Jesus e os discípulos

Neste nível, a aproximidade é total. A intimidade e a liberdade com as quais se expressam pensamentos e sentimentos são completos. O compromisso e a renúncia também são totais. As motivações dos discípulos e o potencial de resposta de cada um são intimamente conhecidos e sobre essas bases os desafios são realizados.

O discipulado nos fala da aceitação do preço da cruz. É interessante vermos que Jesus pegou 12 homens comuns,analfabetos, sem formação religiosa alguma e passou a esses homens todo o seu ministério, sua unção e sua autoridade.

É importante entender que Jesus não deixou por herança o ministério para a multidão e nem pra seus seguidores ocasionais. Somente os discípulos receberam um ministério.

Discipulado nos fala de pegarmos alguém no nível do vale e levá-lo ao nível do monte. Fala-nos de ensinarmos e praticarmos juntos as disciplinas espirituais, corrigindo os princípios de vida errados enraizada em sua alma, heranças familiares, as formas erradas de responder ao diabo.
Só o discipulado equilibrado pode gerar líderes de fato aprovados.

Enfim, vale a pena investir no discipulado.


PRÓXIMO ESTUDO ESTAREI FALANDO SOBRE OS OBJETIVOS DO DISCIPULADO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário